•  Teste de Paternidade
•  DNA e Crime
•  Pareceres
 
home > serviços
 
Teste de Paternidade
 
Método
Utilizamos o método de PCR para amplificar os locos de microssatélites (STRs). Os marcadores genéticos são posteriormente identificados por sequenciadores automáticos de DNA (foto).

Clique aqui e baixe o formulário de identificação para exames de DNA

Os locos que utilizamos foram todos aprovados em programa de certificação de qualidade do Grupo Espanhol e Português da ISFG (International Society for Forensic Genetics).
 
20.000 perícias realizadas
O DNA Reference já estudou o perfil genético de mais de 60.000 indivíduos, ou seja, cerca de 20.000 casos de investigação de paternidade. Analisamos esses casos, tanto através dos STRs, quanto pelo método das impressões digitais do DNA com sondas unilocais MS31, MS43, MS205, G3, MS621, MS1 e YNH24.
 
Colheita de Amostras
O DNA Reference possui três tipos de kits individuais para colheita de material. Além de simplificar a operação, ele confere muito mais segurança e proteção às amostras.

Confira nossos kits:

- Clheita de sangue em papel - Cartão FTA (método modermo, seguro e indolor).
- Colheita de células da mucosa bucal (colheita e transporte fácil).
- Colheita de sangue (dois tubos vacutainer com EDTA por pessoa).

Escolha que tipo de kit deseja receber. Enviaremos pelo correio com a folha de instruções e identificação. Após a colheita, as amostras devem ser enviadas por SEDEX, sem nenhuma refrigeração.
 
Auto-Colheita: Cartão FTA
Enviamos, a pedido, um cartão - o mesmo usado pelo FBI - com locais definidos para a deposição de quatro gotas de sangue, além de instrumentos estéreis para a puntura do polegar.

Gotas de sangue são espremidas em local identificado no cartão,e o nome do indivíduo é escrito abaixo.

O método, mais moderno, é totalmente seguro e indolor.

Para enviar o material pelo Correio, cobramos uma taxa que será abatida quando da realização do exame.

A responsabilidade da identificação é da pessoa que envia as amostras, devendo também haver a concordância dos participantes.
Clique aqui e entre em contato conosco para solicitar Kit de Colheita.
 
Auto-Colheita: Mucosa Bucal (Swab)
É possível realizar a colheita domiciliar para testes de DNA. Esse tipo de exame não tem valor legal, pois as pessoas não estão sendo identificadas por um indivíduo credenciado.

Enviamos aos participantes kits individuais de colheita. Os kits são fáceis de usar e utilizam pequenas escovas para esfregar na bochecha pela parte interna, colhendo-se as células da mucosa da boca.

Os kits podem ser enviados pelo correio e são de fácil utilização. A responsabilidade da identificação é da pessoa que envia as amostras, devendo também ter a concordância dos participantes.
Clique aqui e entre em contato conosco para solicitar Kit de Colheita.
 
Testes com Suposto Pai Falecido
Nestes casos complexos, estudamos o maior número de pessoas relacionadas ao falecido, como seus pais, seus filhos legítimos (acompanhados da viúva, se existente) ou de seus irmãos, além do pretenso filho e sua mãe. No caso da existência de poucos ou nenhum filho legítimo, podemos usar amostras de irmãos do falecido (supostos tios)
Os testes de DNA do cromossomo masculino Y podem ajudar a esclarecer diversos casos onde o pretenso filho seja do sexo masculino. Nesses casos, necessitamos de amostras da linhagem masculina do suposto pai, ou seja, qualquer indivíduo masculino e que seja filho, neto, sobrinho ou primo do falecido. A linhagem masculina não pode ser interrompida por um membro do sexo feminino, ou seja: não podemos usar um sobrinho, filho de uma irmã do falecido.
Clique aqui e confira um artigo sobre este assunto.
 
DNA com os Avós
Em alguns casos, não é possível reunir amostras da viúva ou dos filhos do suposto pai falecido. Nesses casos, são utilizadas amostras dos supostos avós, pais do falecido.
Será suficiente a colheita de amostras dos avós, do filho e sua mãe, se existente.
 
Teste Após a Exumação
No caso de ser impossível a reconstituição do perfil genético do suposto pai pela análise de seus ascendentes e descendentes, poderá ser providenciada a exumação para retirada do terço superior do fêmur e dos dentes molares e pré-molares (se existentes). Amostras de sangue do autor e de sua mãe devem acompanhar o material exumado ou serem colhidas posteriormente.
Clique aqui e confira um artigo sobre este assunto.
 
Perícias de DNA com fios de cabelo
O sangue é a maior fonte de DNA para estudos de investigação de paternidade e crime. Existem casos onde o único material existente são fios de cabelo. Necessitamos de 7 a 10 fios, contendo a raiz (bulbo) para a extração de DNA e identificação do perfil genético. Em alguns casos podemos substituir esse tipo de colheita pela das células da mucosa bucal, usando nosso kit de colheita para esse fim. A quantidade de DNA existente na mucosa bucal é muito maior do que em fios de cabelo!
 
DNA em Escovas de Dentes
É possível realizar a identificação de um indivíduo através de sua escova de dentes, em cerca de 70% dos casos.
Clique e confira um trabalho científico apresentado pelo DNA Reference em congresso internacional.
 
DNA Pré-Natal
Realizamos testes de DNA com o material do feto, seja com o líquido amniótico (urina da criança) ou as vilosidades coriônicas. A idade gestacional para colher as amostras de líquido amniótico (7 a 10 ml) é de 12 a 24 semanas, sendo que para as vilosidades coriônicas de 10 a 13 semanas. Amostras da mãe e do suposto pai podem ser colhidas com swab bucal ou amostra de sangue com anticoagulante EDTA.
É importante ressaltar que as amostras devem ser colhidas somente por ginecologista experiente.
 
Banco de DNA
Dispomos de um banco de amostras de DNA congeladas a menos 80°C. O objetivo desse banco é possibilitar a comparação futura do DNA dos indivíduos após sua morte. O banco é utilizado, principalmente, por indivíduos que recebem ameaças da existência de supostos filhos.
O Laboratório costuma preparar um laudo com o perfil genético do cliente (15 locos de STRs do DNA), onde menciona que existe DNA congelado para futura comparação, se necessária.
Diversos casos já foram resolvidos utilizando esse expediente, sem que houvesse nenhum tipo de questionamento.
 
Baby Card
O perfil do DNA dos bebês pode ser realizado logo após o nascimento. A colheita é feita por um papel filtro (baby card) logo após o parto. Duas gotas de sangue são colocadas no papel e enviadas ao laboratório. O objetivo é ter a identificação da criança, tendo em vista possível troca na maternidade ou futura necessidade em seqüestros ou desaparecimentos.
 

Laboratório DNA Reference

Rua Tobias da Silva, 99, # 502
CEP 90570-020
Porto Alegre - RS

51 3222 - 1350
51 3346 - 4326

rjobim@dnareference.com.br